O ator, diretor e roteirista José Mojica Marins, mais conhecido pelo seu personagem Zé do Caixão, morreu nesta quarta-feira (19). Ele tinha 83 anos e foi vítima de uma broncopneumonia. A morte foi confirmada pela filha de Mojica, a também atriz Liz Marins, nesta quarta-feira (19).

Segundo Liz, José Mojica morreu às 15h46, no hospital Sancta Maggiore, em São Paulo. O cineasta estava internado desde o dia 28 de janeiro para tratar de uma broncopneumonia. O velório deve acontecer no Museu da Imagem e do Som (MIS) na quinta-feira (20), em cerimônia aberta ao público. Mojica deixa sete filhos.

O cineasta e ator José Mojica Marins em fotografia feita em 2001 (foto: Agliberto Lima)

Filho dos artistas circenses Antonio André e Carmen Marins, José Mojica Marins nasceu no dia 13 de março de 1936, em São Paulo. Mojica dirigiu 40 produções e atuou em mais de 50 filmes. Seu interesse pelo cinema de terror escatológico começou nos anos 1950, mas foi em 1964, com o filme À Meia-noite Levarei sua Alma, que ganhou o apelido de Zé do Caixão, com seu personagem mais famoso, o agente funerário sádico com roupas pretas, cartola, capa e unhas longas.

Mesmo conhecido como o mestre do terror no cinema brasileiro, Mojica trabalhou com outros gêneros, como aventura, faroeste e pornochanchada. Ele também influenciou o movimento do cinema marginal nos anos 1960.

Em 2014, José Mojica sofreu um infarto e passou por uma angioplastia e colocou três stents (bubos de metal para melhorar o fluxo sanguíneo da artéria) no coração. Ele voltou a ser internado no mesmo ano em razão de uma piora nas funções renais. Desde então, ele se manteve mais afastado da mídia.

Zé do Caixão em “Esta noite encarnarei no teu cadáver”, de 1967 (foto: Divulgação)