A senadora por Mato Grosso e juíza aposentada Selma Arruda (Podemos), afirmou que vai pedir uma licença não remunerada do Senado a partir de novembro. Depois disso, quem assumirá o cargo será o suplente Gilberto Eglair Possamai (PSL), da cidade de Sorriso.

Apesar de ter se elegido com o mote do combate à corrupção, a senadora enfrenta um processo de cassação do seu mandato no Tribunal Regional Eleitoral por abuso de poder econômico e prática de Caixa 2. Depois de uma desavença como também senador Flávio Bolsonaro (PSL), filho do presidente Jair Bolsonaro (PSL), Selma se desfiliou do PSL e entrou para o Podemos.

Depois do anúncio da licença, levantou-se muita polêmica sobre o seu fundamento legal, uma vez que a justificativa não foi levantada. Segundo a senadora, a licença não remunerada possui fundamento legal na Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990.

Senadora Selma Arruda (foto: Jefferson Rudy / Agência O Globo)

 a sua ajuda vale muito neste momento 

Nós trabalhamos todos os dias para que você se mantenha sempre muito bem informado. São dezenas de reportagens diárias e uma equipe de jornalistas focada em trazer as informações corretas, em tempo real. Nosso trabalho é pautado pela fiscalização do poder público, para garantir o seus direitos. Porque você merece saber a verdade sempre. E, se você acredita na importância do nosso trabalho, pode nos ajudar realizando pequenas doações para nossa equipe.

Você também pode nos ajudar a melhorar dizendo o que achou desta matéria. Sua opinião é muito importante.