Segundo a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT), o estado de Mato Grosso tem dois casos confirmados do novo coronavírus (Covid-19) e outros 183 suspeitos, que seguem sendo investigados. Todas estas ocorrências são acompanhadas pelas equipes de Vigilância Epidemiológica do estado e dos municípios. Sinop possui dois casos suspeitos.

Até o momento, a secretaria já monitorou 259 ocorrências em Mato Grosso. De acordo com informações da área técnica da SES, 23 casos foram descartados e 51 foram excluídos por não preencheram critérios de definição para Covid-19.

O aumento no número de casos suspeitos também é consequência da atualização do protocolo de definição de caso, conforme direcionamento do Ministério da Saúde; a medida impactou no aumento de casos suspeitos e confirmados em todo o país. A área técnica também esclareceu que o sistema de informação oficial segue instável, o que justifica a possibilidade de os dados estarem discordantes daqueles que poderão ser apresentados pela plataforma do Ministério da Saúde.

O detalhamento de casos por municípios é divulgado em Nota Informativa liberada pela SES de segunda a sexta-feira, às 17h – horário em que também ocorre a coletiva de imprensa virtual com o secretário estadual de Saúde, Gilberto Figueiredo, transmitida pelo instagram do Governo do Estado.

Secretário de Saúde de Mato Grosso, Gilberto Figueiredo (foto: Christiano Antonucci)

Análise de amostras

Na última quinta-feira (19), o Laboratório Central do Estado de Mato Grosso (Lacen-MT), unidade de referência para análises epidemiológicas relacionadas a Covid-19, iniciou a realização dos testes de diagnóstico do coronavírus no estado.

Até então, as amostras para Covid-19 chegavam ao Lacen e, a depender da análise negativa para outros vírus, eram enviadas ao Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo – um dos laboratórios de referência nacional. A partir de agora, o Lacen trabalhará com o prazo de até 72h para divulgação do resultado, após a amostra entrar no laboratório estadual; prazo que auxilia na celeridade das investigações.

Recomendações

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo coronavírus. Entre as medidas estão:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes. Ficar em casa quando estiver doente;
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (máscara cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).